Menu Menu

Seja cuidadoso com o Jardim que Deus fez e te colocou

 Por: 
"O Senhor Deus colocou o homem no jardim do Éden para cuidar dele e cultivá-lo."
Gênesis 2:15

Quando lemos o início de Gênesis, vimos toda a preocupação de Deus em criar o mundo e criar um espaço feliz para a humanidade e a natureza. Nas escrituras, vemos que além de desfrutar de todas as belas paisagens e recursos naturais dados por Deus, o homem foi colocado no jardim com a finalidade bem específica de cuidar e cultivá-lo.

Temos essa atitude de obediência e gratidão à criação do Senhor?
Ouvimos muitas preocupações sobre poluição, desperdício de água e mudanças climáticas, e reconhecemos que muitos desses danos são causados ​​pela ganância humana e nosso abuso do meio ambiente. Mas, como filhos de Deus, quantas coisas práticas podemos fazer para tornar o mundo ao nosso redor melhor?


Cuide bem do jardim de Deus:

  • Ore a Deus e agradeça o dom da criação. Peça a ele para ajudá-lo a apreciar e se preocupar com o que está ao seu redor.
  • A responsabilidade de fazer bom uso dos recursos de que dispomos (água, rios, vegetação, ar, animais, etc.) não se limita a organizações ou governos, mas começa em nossas casas.
  • Como cristão, dê um bom exemplo de gratidão e cuidado com a natureza (em sua casa, rua, igreja, local de trabalho e onde quer que vá).
  • Tenha cuidado com onde você e sua família dão o lixo e o que você pode reciclar.
  • Reúna irmãos, irmãs e amigos, e busque participar de medidas práticas para melhorar o meio ambiente.
  • Observe, leia e medite em muitos ensinamentos bíblicos descritos com base na experiência real dos elementos da criação.

Esboço geral do Livro de Gênesis

 Por: 


Moisés foi o homem que Deus inspirou para escrever o livro de Gênesis, e também todo o Pentateuco. 

Em Gênesis, podemos compreender com mais facilidade como foi o inicio de história da terra, e também de toda a criação. Nele mostra Deus superando o fracasso humano sob diferentes condições. 

Gênesis, especialmente, é crucial para a compreensão da Revelação ( livro de Apocalipse ). O primeiro e o último capítulo da Bíblia estão intimamente entrelaçados.

O livro de Genesis não é somente uma história da humanidade, mas também sobre História da Redenção do ser humano.

Genesis pode ser dividido em 2 partes de quatros grandes acontecimentos cruciais para a construção da história de toda a Bíblia, que são:

Parte 1:

  • 1. Criação: Deus é o Soberano Criador da matéria, energia, espaço e tempo. O homem é o masterpiece, a maravilhosa obra prima da Criação. 
  • 2. Queda: A Criação é seguida pela corrupção. No primeiro pecado, o homem é separado de Deus, o Criador, isto é, Adão é afastado de Deus; e, no segundo pecado, o homem é separado do seu semelhante e próximo; Caim se afasta de Abel. Apesar da horrível e devastadora maldição da Queda, é o Senhor Deus quem toma a iniciativa de prover a solução e promete esperança e Redenção, a qual se dará por meio da semente de um ser humano feminino (Gn 3.15). 
  • 3. Dilúvio: Como o ser humano se multiplica muito e rápido, o pecado acompanha a evolução natural da espécie, e, infelizmente, também se multiplica; até que Deus sente que deve destruir a Humanidade com exceção de um homem e sua família: Noé. 
  • 4. Nações: O primeiro livro da Bíblia nos ensina que a Humanidade é uma raça unida por ligações de filiação e parentesco: somos todos filhos de Adão através de Noé; contudo, por causa da rebelião da Torre de Babel, o Senhor Deus decide fragmentar a única cultura e linguagem que havia sobre a terra no mundo pós-diluviano e dispersa o povo sobre para várias partes do planeta. À medida que as nações, culturas e línguas, vão se dispersando mais e mais, Deus escolhe e separa um homem e sua família (descendência) mediante os quais ele abençoaria todos os demais povos da terra (Gn 12-50):

Parte 2:

  • 1. Abraão: O chamado de Abraão (Cap.12) é o eixo sobre o qual girará a sequência da obra da própria História. As três promessas pactuais que Deus faz a Abraão (terra, descendentes e bênção)são fundamentais para o seu plano de trazer Salvação sobre todo o planeta. 
  • 2. Isaque: O Senhor Deus estabelece seu pacto com Isaque como um elo espiritual com o pai Abraão. 
  • 3. Jacó: O Senhor Deus demonstra seu trabalho delicado, sistemático e preciso de transformar um ser humano egoísta, avarento e arrogante num servo generoso e pacífico; como grande sinal de transformação muda o seu próprio nome (identidade) para Israel (Vencer com Deus, em hebraico), e o faz pai das Doze Tribos que formam a nação de Israel. 190 
  • 4. José: O filho amado e favorito de Jacó sofre a perseguição, a traição e a tentativa de assassinato nas mãos dos próprios irmãos, tendo que ir para o Egito onde se tornaria escravo. Depois de sua dramática ascensão ao governo do Egito, José liberta sua própria família que se tornará necessitada, e a conduz de Canaã para Gósem. Uma impressionante figura do próprio Messias, o Senhor Jesus Cristo, Filho de Deus, no NT. 

O Livro termina com a escravidão  do povo de Deus, no Egito, com a morte de José. Assim a grande e crescente necessidade de Redenção cresce e a solução vem no livro de Moisés em: Êxodo.

Você pode vencer esse medo que te paralisa!

 Por: 
Não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou teu Deus; eu te fortaleço, e te ajudo, e te sustento com a destra da minha justiça.
Isaías 41:10

Como vencer o medo? Aquele sentimento que paralisa, ou nos leva a fazer coisas estúpidas para evitar aquilo que tememos... A Bíblia diz que a solução para o medo é o amor.

Quando o amor de Deus entra em seu coração, ele expulsa o medo. Em Jesus você pode encontrar a força que você precisa para enfrentar seus medos!


3 coisas que você pode fazer para vencer seus medos hoje:

  • Ore a Deus sempre que começar a sentir medo ou ansiedade
  • Fale com um irmão na fé sobre seu medo e peça oração
  • Lembre todas as vezes que Deus protegeu você - Ele é fiel para continuar fazendo isso!

Via: Bibliaon

O que são as bem-aventuranças?

 Por: 

As bem-aventuranças são as oito declarações de bênçãos pronunciadas por Jesus no início do Sermão da Montanha (Mateus 5:3-12), cada uma começando com "Bem-aventurados..." Há um certo debate quanto a exatamente quantas bem-aventuranças existem. Alguns falam de sete, nove ou dez bem-aventuranças, mas o número parece ser oito (versículos 10-12 de Mateus 5 sendo uma bem-aventurança).

A palavra grega traduzida por "bem-aventurado" significa "bem-estar e prosperidade espiritual". É uma palavra que se refere à alegria profunda da alma. Aqueles que experimentam a primeira parte de uma bem-aventurança (os pobres, os que choram, os mansos, os com fome de justiça, os misericordiosos, os puros, os pacíficos e os perseguidos) também experimentarão a segunda parte da bem-aventurança (reino dos céus, conforto, herdarão a terra, saciados, misericórdia, verão a Deus, chamados filhos de Deus, herdarão o reino dos céus). Os bem-aventurados têm uma parte na salvação e têm entrado no reino de Deus, experimentando um pouco do céu. Uma outra possível versão de cada bem-aventurança é uma exclamação de "Oh, quão felizes os..."

As bem-aventuranças descrevem o discípulo ideal e sua recompensa tanto no presente quanto no futuro. A pessoa que Jesus descreve nesta passagem tem uma qualidade diferente em seu caráter e estilo de vida daqueles que ainda estão "fora do reino". Como uma forma literária, a bem-aventurança também é encontrada no Antigo Testamento, especialmente nos Salmos (1:1; 34:8; 65:4; 128:1) e em outros lugares no Novo Testamento (João 20:29; 14:22; Tiago 1:12, Apocalipse 14:13).


via: gotquestions

O que é expiação substitutiva?

 Por: 
A “expiação substitutiva” se refere ao fato de que Jesus Cristo morreu em favor de todos os pecadores. As Escrituras ensinam que todos os homens são pecadores (leia Romanos 3:9-18 e Romanos 3:23). O preço por nosso pecado é a morte. Romanos 6:23 nos diz: “Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor.”

Este versículo nos ensina várias coisas. Sem Cristo, todos nós vamos morrer e passar a eternidade no inferno como pagamento por nossos pecados. Nas Escrituras, a morte se refere à “separação”. Logicamente, todos morreremos, mas alguns viverão no céu com o Senhor por toda a eternidade, enquanto outros viverão por toda a eternidade no inferno. A morte de que se fala aqui se refere à vida no inferno. Entretanto, a segunda coisa que este versículo nos ensina é que a vida eterna está disponível através de Jesus Cristo. Isto é a Sua expiação substitutiva.

Jesus Cristo morreu em nosso lugar quando foi crucificado. Nós merecíamos ser pendurados na cruz para morrer, pois somos nós que vivemos vidas de pecado. No entanto, em nosso lugar, Cristo tomou sobre Si a punição. “Àquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus” (II Coríntios 5:21). Ele tomou nosso lugar como substituto pelo que nós, por justiça, merecíamos.

“Levando ele mesmo em seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro, para que, mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça; e pelas suas feridas fostes sarados” (I Pedro 2:24). Aqui, mais uma vez vemos que Cristo tomou os pecados cometidos por nós sobre Si mesmo, a fim de pagar o preço por nós. Alguns versículos adiante podemos ler: “Porque também Cristo padeceu uma vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus; mortificado, na verdade, na carne, mas vivificado pelo Espírito” (I Pedro 3:18). Estes versículos nos ensinam não somente a respeito do “substituto” que Cristo foi por nós, mas também que Ele foi “expiação”, o que significa que Ele plenamente satisfez o pagamento devido pelo pecado do homem.

Mais uma passagem que fala a respeito da “expiação substitutiva” é Isaías 53:5. Este versículo fala a respeito da vinda de Cristo, a fim de morrer na cruz por nossos pecados. É rica em detalhes, e a crucificação aconteceu exatamente como profetizada. Ao ler, observe as palavras: “Mas ELE foi ferido por causa das NOSSAS transgressões, e moído por causa das NOSSAS iniquidades; o castigo que NOS traz a paz estava sobre ELE, e pelas SUAS pisaduras FOMOS sarados.” Observe a substituição. Aqui, mais uma vez, vemos Cristo pagando o preço por nós!

Não conseguiríamos pagar o preço do pecado nós mesmos. Ou, se o fizéssemos, simplesmente seríamos punidos e colocados no inferno por toda a eternidade. Entretanto, Cristo tomou a iniciativa de vir à terra na forma do Filho de Deus, Jesus Cristo, para pagar o preço por nossos pecados. Por causa do que Ele fez por nós, agora podemos ter a oportunidade não apenas de termos nossos pecados perdoados, mas de passarmos a eternidade com Ele. Para isto, devemos colocar nossa fé no que Cristo fez na cruz. Não podemos salvar a nós mesmos; precisamos de um substituto que tome o nosso lugar. A morte de Jesus Cristo é a expiação substitutiva.